Friday, September 13, 2013

As divertidíssimas reuniões da família Inominada

Acaba que uma ou duas vezes por década esta estagiária que vos fala é obrigada a comparecer a alguma reunião da família Inominada. 
E há exatamente sete dias eu estava em uma delas.
É sempre interessante encontrar uma porção de pessoas que eu conheço e gosto, algumas outras que eu devia conhecer mas que se eu passar por elas na rua jamais reconhecerei, conhecer algumas que eu não conhecia... Geralmente acontecem coisas inusitadas e engraçadas, a família inominada não é muito de brigar. 
Sábado não foi diferente. Todo mundo sendo muito simpático, muito polido, muito solícito, até que eu revelei minha personalidade monstro afirmando que sou advogada.
Fui bombardeada com aquelas frases inteligentíssimas de "crente não pode ser advogado", "advogado é tudo bandido", bla bla bla...
Mas a minha preferida veio de um filho de não sei quem (gente de fora da família Inominada, primo de algum agregado), me perguntar em que área eu estava atuando. Expliquei, muito polidamente, que eu atuava na área cível e na trabalhista. Ele fechou a carinha: "O problema do advogado trabalhista é que ele pede um monte de coisas que não são devidas..." Sorrisinho sarcástico da minha parte. Pensei comigo: "Se entregou, empregador!" Ele continuou: "Imagine que a advogada da minha ex-empregada pediu insalubridade por causa da poeira do estoque! Um absurdo! Eu vendo roupas e calçados DE MARCA e a poeira do meu estoque não faz mal à saúde...

Entendam, pessoas: poeira de roupas de marca não faz mal à saúde...


"Claro, você tem toda a razão" - respondi - "mas meu papel como advogada é pedir tudo que eu achar que o empregado tem direito, e o juiz que negue..." "Ah, mas daí o juiz força o empregador a fazer um acordo de coisas que ele não deve... bla bla bla". 
Parei de prestar atenção - não valia a pena argumentar - deixei ele falar sozinho de como a vida é injusta com os empresários, que são obrigados a pagar impostos altos, e depois verbas trabalhistas, que ninguém pode trabalhar de graça pra eles... 
Passa um pouco, eu o escuto elogiando uma advogada que o ensinou a como fraudar a previdência social, assinando a própria carteira de trabalho pra depois pedir o auxílio doença. 
Entendi tudo!


Mais tarde, naquele mesmo dia, meu tio de oitenta e muitos anos, sei lá por que, me agraciou com o apelido de "advogadinha fajuta".

A próxima reunião de família que vou participar serão as bodas de ouro do meu priminho recém nascido...

8 comments:

  1. Olá!!
    Meu avô sempre fazia essas coisas, nunca demonstrou qualquer orgulho ou alegria com as conquistas dos filhos e netos.
    Meu irmão uns anos atrás passou na prova p/ o Banco do Brasil.
    Quando contamos p/ meu avô paterno, ele deu uma tapinha nas costas do meu irmão e disse:
    Mais um bancário p/ roubar a gente!
    Tem família que é F...!

    Beijos, Ju.

    ReplyDelete
  2. Parente = serpente. Mordem, envenenam e a gente ainda tem que achar bom, bonito e gostoso!

    ReplyDelete
  3. Afe ! Nessas reuniões familiares sai cada pérola ! Na minha família também é assim . E essa de crente não poder ser advogado foi demais ! Cada um de nós pode ser aquilo que quiser ! Melhor ser advogado do que ser bandido né ? Vesto sua camisa , tô indignada !
    Bjs

    ReplyDelete
  4. Ao passar pela net encontrei seu blog, estive a ver e ler alguma postagens
    é um bom blog, daqueles que gostamos de visitar, e ficar mais um pouco.
    Eu também tenho um blog, Peregrino E servo, se desejar fazer uma visita
    Ficarei radiante,mas se desejar seguir, saiba que sempre retribuo seguido
    também o seu blog. Deixo os meus cumprimentos e saudações.
    Sou António Batalha.

    ReplyDelete
  5. Hahahahaha... sua crente safada, foi logo escolher direito. Podia ser tantas outras coisas. Por que nãoe scolheu ser pastora?
    E fica sacaneando o pobre carinha que só tem poeira de marca no estoque dele!

    ReplyDelete
  6. Oi lindinha! Seu relato me lembrou os lugares onde revelam que me formei em direito e logo vem um monte de gente me questionar, contar histórias bizarras e pedir consulta.
    Sério, eu me sinto a mais incompetente do mundo também!
    Somos pressionados e desvalorizados de todas as formas. Sinceramente, isso não me faz bem, não considero saudável e quero logo sair dessa vida!
    Boa sorte na sua jornada! Pq eu, não aguento mais!

    ReplyDelete
  7. Festa de família é assim mesmo, sempre tiram alguém pra cristo, na próxima senhora advogada seja mais rápida e comece você a crucificar alguém kkkkk

    ReplyDelete
  8. Crente não pode ser advogado???? hahahhahaahahahahahahaa

    Por isso que eu acho reuniões de família O MÁXIMOOOOO!!!!

    ReplyDelete